Empresas brasileiras pagaram R$ 50 bilhões em impostos de forma indevida em 2023

09 de fevereiro de 2024
Contábeis

Em 2023, o governo federal arrecadou R$ 2,318 trilhões, marcando o segundo melhor resultado na série histórica dos dados. No entanto, parte importante desse valor é de impostos pagos indevidamente.

De acordo com um estudo conduzido pela startup Revizia, as empresas brasileiras deixaram de recuperar mais de R$ 50 bilhões em impostos que não deveriam ter sido cobrados, somente no último ano. 

Em média, uma empresa com faturamento superior a R$ 10 milhões perde cerca de R$ 251.928,23 anualmente devido a essa questão.

 

O levantamento, realizado com 3.615 organizações da base de dados da Revizia, revelou que o Brasil conta com aproximadamente 199.949 empresas desse porte, o que eleva a perda anual com impostos indevidos a R$ 50,37 bilhões. 

Esses números indicam que os cofres públicos receberam quase R$ 252 bilhões a mais nos últimos 5 anos do que deveriam.

"O sistema tributário brasileiro é bastante complexo, levando as empresas a pagarem mais impostos do que realmente devem, seja por desconhecimento, falta de organização dos documentos ou simplesmente para evitarem riscos de autuação pelo fisco", explica o CEO da Revizia, Vitor Santos. 

 

Os impostos indiretos, como o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Programa de Integração Social (PIS) /Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) , devido à sua complexidade, figuram como os principais tributos da lista de encargos recuperáveis.

Em 2023, a Revizia conseguiu recuperar R$ 325 milhões de impostos pagos indevidamente, representando um crescimento de 30% em relação ao ano anterior. Para 2024, a projeção é atingir R$ 500 milhões, um aumento de 53,85%.

Aumento na recuperação de impostos

O expressivo crescimento na recuperação de impostos em 2023 está relacionado à promulgação da Reforma Tributária, ocorrida no final do mesmo ano. 

Esse processo acelerou a busca das empresas por um diagnóstico de sua situação tributária, correções necessárias para evitar problemas e identificação de oportunidades para recuperar recursos financeiros perdidos com tributos cobrados indevidamente.

Especialistas acreditam que a norma terá um impacto significativo no cenário tributário nacional nos próximos anos, até que a reforma entre em vigor integralmente, em 2033.

Isso porque, durante o período de transição, haverá a coexistência de dois sistemas tributários, exigindo das empresas um cuidado maior no planejamento tributário para evitar dúvidas e a possibilidade de maior judicialização.

 

Além disso, a recuperação de créditos tributários também se torna uma boa oportunidade para as empresas que querem gerar caixa e buscar recursos.

Compartilhe nas redes sociais
Facebook Twitter Linkedin
Voltar para a listagem de notícias

Vamos Conversar? Caso tenha alguma dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato!

Entre em contato conosco para esclarecer suas dúvidas, solicitar suporte, resolver problemas ou dar sugestões. Veja todas as opções de contato disponíveis.

Preencha corretamente o nosso formulário de contato.

Av. Fábio Ferraz Bicudo, 1194 - Jd. Dona Lucilla

Indaiatuba / SP - CEP: 13331-494

Contato

(19) 3816-4010

Whatsapp

(19) 9.9904-5533

E-mail

contato@contalexcontabil.com.br

Sitecontabil © 2019 - 2024 | Todos os direitos reservados